História

Evolução Histórica

A história desta associação remonta a 1976, quando vinte cidadãos de vários quadrantes  sociais da freguesia sentiram necessidade em reunir-se, numa pequena sala paroquial, para analisar as dificuldades da população. Desses encontros e na presença do Pároco, Presidente da Junta e representantes do Seminário das Missões do Espírito Santo, nasce a ideia da construção de um salão paroquial e social, com salão de festas, salas de catequese, biblioteca
e um bar, atendendo que a população estava a aumentar e o espaço para as diversas actividades da Igreja e da freguesia já não respondia às necessidades.
Com o apoio dos sacerdotes presentes, a Congregação dos Missionários do Espírito Santo disponibilizou uma parcela de terreno da Quinta do Assento.
Para dar continuidade ao projecto, os presentes assumem a responsabilidade de promover iniciativas de angariação de fundos para construção de raiz de um equipamento. A 16 de Dezembro de 1978, um grupo de representantes deste movimento comparece no Primeiro Cartório de Barcelos para formalizar a escritura de constituição do “Centro Social de Cultura e Recreio da Silva”, “tendo como fim principal a promoção humana, cristã e social das pessoas da freguesia ou de quaisquer outras interessadas nas suas actividades” (D.R. II série, n.º 51, de 2 de Março de 1979).
Aquando o acto notarial, o “Salão Paroquial da Silva” já se encontrava em construção e por vontade da maioria dos responsáveis locais, foi atribuída a responsabilidade do projecto, edificação e dinamização das actividades em conformidade com os estatutos e regulamentos aprovados, ao Centro Social de Cultura e Recreio da Silva, sendo feita doação da parcela de
terreno e da obra em curso pela Congregação dos Missionários do Espírito Santo. Em 1982 a primeira fase do projecto estava concluída e a Associação destacava-se pelas diversas actividades que promovia como sejam as idas à praia e colónias de férias. Nesse mesmo ano, entrou em funcionamento a Escola Básica 1 da Silva e com ela uma nova necessidade, a de acolher as crianças no período diário correspondente ao trabalho dos pais, isto é, no intervalo do almoço e nos períodos posteriores aos escolares.

A Direcção da Instituição estabeleceu de imediato contactos com as entidades competentes. No sentido de obter apoio financeiro da Segurança Social e estabelecer Acordos de Cooperação teve de alterar o projecto inicial, nomeadamente as salas de catequese, permitindo criar um espaço para fornecer o almoço e outros espaços para actividades culturais, recreativas e desportivas. Em 1986, após parecer favorável dos técnicos da Segurança Social e aditamento ao projecto inicial, deu-se início a segunda fase de construção do edifício, então denominado de “ATL da Silva” e em Maio de 1990 é celebrado um Acordo de cooperação para Centro de Actividades de Tempos Livres (C.A.T.L.), com capacidade para 100 crianças. Este acordo foi revisto em 2012 para 26 crianças.

O reconhecimento de pessoa colectiva de utilidade pública deu-se a 17 de Dezembro de 1990, com a obtenção de estatuto de Instituição Particular de Solidariedade Social (I.P.S.S.), prosseguindo os fins de “promoção social, cultural e recreativa de crianças, jovens, adultos e idosos, com fins não lucrativos, preferencialmente na freguesia da Silva” (D.R. II série, de 22 de
Agosto de 1991).

Para dar continuidade à satisfação das necessidades apresentadas pela população, em Julho de 1995 é celebrado um Acordo de Cooperação para o Serviço de Apoio Domiciliário (SAD), com capacidade para 28 clientes.
A 15 de Junho 2000 abre ao público a Empresa de Inserção Lavandaria, ao abrigo da Portaria n.º 348-A/98,de 18 de Junho. Apesar da sua extinção enquanto protocolo com o Instituto de Emprego e Formação Profissional em 2015 por força de alterações legislativas, a Lavandaria continua a exercer serviço de utilidade a toda a comunidade, através da lavagem e engomagem de roupa e artigos de têxtil-lar.

Para responder a novas necessidades, a Instituição avança com a compra da Quinta do Assento, cuja escritura de compra e venda é formalizada a 29 de Outubro de 2004. Esta aquisição permite dar início ao projecto do Polidesportivo, com bancadas e balneários. Em simultâneo, a Direcção apresentou candidatura à medida 5.6 do P.O.E.F.D.S., que permitiu obter apoio  financeiro para a construção do edifício Casa de São Julião que incluiria as respostas sociais Creche, Centro de Dia e Centro de Noite.

A 30 de Julho de 2005 o Exmo. Sr. Dr. Fernando Reis, Presidente da Câmara Municipal, e a Exma. Sra. Dr.ª Maria do Carmo Antunes, Directora do C.D.S.S. de Braga solenizam o lançamento da 1ª pedra do Edifício Casa S. Julião. Em 2006, perante o problema do desemprego e para estimular a aquisição de competências profissionais da população, o CSCR da Silva passa a reforçar a sua parceria com o IEFP, cedendo salas para a promoção de acções de formação e acolhendo estagiários destas acções, com o objectivo de contribuir para uma sociedade melhor, mais justa e com oportunidades para todos.
Em Julho do mesmo ano é celebrado um Acordo de Cooperação da resposta social Creche para 33 crianças e em Dezembro celebrou-se também um Acordo de Cooperação para 30 clientes de Centro de Dia.
Face ao Despacho n.º 1259/2006 de Maio, que veio alterar o funcionamento do Centro de Actividades de Tempos Livres, no ano lectivo de 2006/2007, esta resposta passa a configurar o modelo de C.A.T.L. designado de “extensões de horário e interrupções lectivas”, passando a apoiar às famílias no início e no final do dia, bem como nas interrupções letivas. Em paralelo,
acordou-se com o Município fornecer refeições (almoço) às crianças do Jardim-de-infância da Silva e da Escola Básica 1 da Silva, no âmbito do “Programa generalizado de fornecimento de refeições aos alunos de Pré-Escolar e 1º Ciclo”.
Em Setembro de 2007, a Instituição passa a incorporar uma nova resposta social, Protocolo do Rendimento Social de Inserção, cuja área de intervenção abrangia inicialmente 20 freguesias do concelho de Barcelos, nomeadamente Lama, Silva, Lijó, Galegos Sta Maria, Galegos S. Martinho, Carapeços, Campo S. Salvador, Alvito S. Martinho, Roriz, Oliveira, Tamel S. Fins,
Couto S. Tiago, Alvito S. Pedro, Alheira, Igreja Nova, Panque, Cossourado, Aguiar, Quintiães e Aborim. A área de intervenção aumentou no decorrer dos anos, abrangendo no seu final 37 freguesias do concelho. Este Protocolo teve o seu término em 2015, fruto de alterações legislativas.

Em Dezembro de 2017 é celebrado um Acordo de Cooperação para a resposta social Centro de Noite, sendo convertida em Outubro de 2008 para Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI, antes designada como Lar de Idosos) com capacidade para 12 clientes.

Face ao sucesso da primeira empresa de inserção, o CSCR da Silva abre em 2008 uma outra vocacionada para as Limpezas, encerrada em 2015 por força de alterações legislativas.

Em Junho de 2009, a instituição incorpora um Gabinete de Inserção Profissional (GIP). Esta estrutura constitui-se como uma extensão do Centro de Emprego, enquanto gabinete mais próximo das pessoas à procura de emprego. Esta resposta deixou de existir com o término do projecto em 2011.
Em Dezembro deste mesmo ano, foi inaugurado o Espaço de Formação e o Espaço de Convívio, onde fica localizado o Bar desta Instituição.
Em Junho de 2016, o Centro Social de Cultura e Recreio da Silva passa a dispor de um sistema de gestão da qualidade conforme com a noma ISSO 9001:2015, diferenciando-se de outras instituições, o que reflete na preocupação em ser uma instituição de excelência e de referência em todas as suas actividades.